A história do baião de dois – Nova Feira de São Cristóvão

A história do baião de dois

O termo baião, que deu origem ao nome do prato, vem de uma dança típica do nordeste que é derivada de uma forma de lundu, chamada "baiano". A origem do termo ganhou popularidade com a música Baião de Dois, parceria do compositor cearense Humberto Teixeira com o "Rei do Baião", o pernambucano Luís Gonzaga, na metade do século XX.




 

Baião de dois é um prato tipico do estado do Ceará, muito apreciado na região Nordeste e partes da região Norte do Brasil, como Rondônia, Acre, Amazonas e Pará. Consiste num preparado de arroz e feijão, de preferência o feijão verde ou feijão novo. É comum a adição de queijo coalho. Não se adiciona carne-seca (charque) no Ceará. Na Paraíba e Pernambuco, existe uma variante desse prato chamado de rubacão, onde no Sertão é bastante apreciado.

O baião, por ser uma mistura de dois elementos da culinária brasileira apreciados e de fácil acesso, o arroz e o feijão, é muito comum em áreas rurais. É possível perceber que ele é feito principalmente à noite para que seja aproveitado o restante do feijão cozido durante o dia.